Treinamentos internos: mexendo com a galera para dar aquele gás!

Na última segunda-feira, 25, foi concluída a primeira etapa de treinamentos internos em busca de excelência. São três pilares: processos operacionais, portfólio de produtos e relacionamento com o cliente.

O trabalho, que iniciou em 2018, passou por mudanças estratégicas para proporcionar maior engajamento. Em vez de serem realizados em reuniões internas semanais nas dependências das lojas, os encontros ocorreram em salas apropriadas, fora da empresa.

Em Blumenau, escolhemos um espaço co-working; em São Miguel do Oeste a opção foi por uma sala específica da CDL; e em Itapiranga os treinamentos ocorreram em um espaço dentro da universidade.

 

ETAPAS

1ª etapa: começou em Blumenau, depois em São Miguel do Oeste e terminou em Itapiranga; abordou os fundamentos dos processos operacionais diários: recebimento e conferência de mercadorias, controle e organização de estoques, reabastecimento de produtos gelados, exposição de produtos na área de venda e melhores práticas, entre vários outros.

2ª etapa: começou em Itapiranga, passará por São Miguel do Oeste e terminará nas lojas de Blumenau; envolve noções básicas e também aprofundadas sobre todos os produtos das lojas, especialmente cervejas.

3ª etapa: começará por Blumenau, passará por São Miguel do Oeste e finalizará em Itapiranga; aborda o relacionamento com o cliente, presencial e online, desde abordagem e condução da venda até o feedback do consumidor.

O ciclo tem previsão de ser concluído no início de maio e voltará a ser executado a partir de agosto, com atualizações práticas e de conteúdos.

 

IMPRESSÕES

Para o supervisor administrativo da Bavihaus de Itapiranga, Luis Koch, o treinamento serviu para esclarecer dúvidas sobre alguns processos e alinhar a comunicação entre os colegas de trabalho, já que novos colaboradores passaram a fazer parte da equipe recentemente e ainda estão absorvendo a cultura da Bavihaus.

Na visão de Jean Weis, colaborador da loja de Itapiranga há 7 meses, o aprendizado foi enriquecedor. "Com certeza aprendi muito, desde o simples procedimento de fluxo dos processos até os mais complexos, como um entendimento mais amplo sobre cervejas, escolas cervejeiras, estilos de cerveja, temperatura de serviços, entre outros", comenta.

Na opinião de Alan Marcel Castaman, responsável por elaborar os materiais e capacitar os colaborares, algumas coisas ainda precisam ser ajustadas na escolha dos conteúdos e também na didática e metodologia dos treinamentos. “Eu diria que 80% do que foi repassado estão alinhados com as necessidades da empresa, mas ainda é preciso que as duas próximas etapas ocorram antes de obtermos as melhores conclusões. Entendo que tudo tem um começo e o mais importante é não ficar parado diante das mudanças do mercado e dos objetivos da empresa”, avalia.

 

#Bavihaus, a Casa da Cerveja, em #SMOeste, #Itapiranga e #Blumenau!

Escrito por

0 Comentários

  1. Deixe um Comentário